Category Archives: eu

índice de felicidade

Cómo hacerte saber que siempre hay tiempo?

Agora que tanto se fala de números e cálculos, de inidicadores, de taxas apetece-me pensar no meu índice de felicidade.
1. O M.
É tão bom continuarmos apaixonados!
2. A minha família
Mesmo longe fisicamente, estamos bem perto.
3. A fotografia
Faz-me sorrir por dentro, aprender, crescer e conhecer-me.
4. A minha casa
Chegar a casa e desfrutar dela depois de um dia de trabalho é uma sensação única.
5. A Mia
Que me faz sorrir com toda a sua rebeldia…

Estes são alguns items para o cálculo complexo do meu Indice de Felicidade.
E a lista podia continuar, continuar, continuar… Eu não preciso do FMI.

Anúncios

o mundo…

our van [Foto do M.]

“O mundo é um livro, e quem fica em casa, lê somente uma página.”

(Sto. Agostinho)

Deve ser por isso que gosto tanto de viajar. E de ler…

fim de semana

@Bragança

Esta revista é um hino à alegria e à cor!!!
Planos para o fim de semana: sorrir e descansar. :)

parar no tempo…


«O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo…»
(Mário Quintana)

… porque às vezes tenho saudades de tantas coisas!

recomeço

«
Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.
»
(Receita de ano novo, Carlos Drummond de Andrade)

Não sou muito boa cozinheira mas vou tentar esta receita.
Merecer, fazer de novo, tentar, experimentar e descobrir este novo ano!

natal

Não gosto do espírito consumista, da hipocrisia de última hora, dos presentes que se dão-porque-tem-que-ser.
Mas gosto de dar aquele presente que faz sorrir, de estar com as pessoas que realmente interessam, e… do quentinho da lareira nesse dia.

paciência

a special bench

encontrei esta frase num acaso…
«
Há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência.

»
(Pablo Neruda)

A paciência, essa qualidade tão pouco cultivada.
Nesta época consumista, nesta febre de ter tudo muito depressa, esta frase parece-me tão verdadeira…